09
FEV

O Cinema está cheio de sabores e boas histórias quando o assunto é gastronomia. De filmes que tem a comida como tema principal àqueles que mostram com menos enfoque, há uma série de opções para você dar uma espairecida sem perder a oportunidade de se inspirar. O Blog MVarandas, feito por pessoas apaixonadas por cultura e food service, listou 7 filmes e documentários imperdíveis sobre os prazeres, curiosidades e encantos da mesa. Confira: 1. Comer, Rezar e Amar ( ...

O Cinema está cheio de sabores e boas histórias quando o assunto é gastronomia. De filmes que tem a comida como tema principal àqueles que mostram com menos enfoque, há uma série de opções para você dar uma espairecida sem perder a oportunidade de se inspirar. O Blog MVarandas, feito por pessoas apaixonadas por cultura e food service, listou 7 filmes e documentários imperdíveis sobre os prazeres, curiosidades e encantos da mesa. Confira:



1. Comer, Rezar e Amar (2010) - Quando Liz (Julia Roberts) quer sair da zona de conforto e buscar seu propósito de vida, escolhe Índia, Itália e Bali como destinos para comer, rezar e amar. É o prazer de comer bem numa comédia leve.



2. A Fantástica Fábrica de Chocolates (2005) - As aventuras no mundo de Willy Wonka (Johnny Depp) são um prato cheio para os aficionados por doces e sobremesas. Vale a diversão!



3. Pegando Fogo (2015) - Quando um chef decadente (estrelado por Bradley Cooper) decide recuperar seu passado glorioso e buscar sua estrela Michelin, o caminho pode ser surpreendente – e difícil. Não deixe de ver esse drama que arregimentou chefs e cozinheiros para desempenhar os papéis de forma mais real possível!



4. Simplesmente Martha (2001) - Cozinheira extremamente metódica, Martha tem sua vida virada de cabeça para baixo após uma tragédia. É quando entra em cena (e à mesa) um chef charmoso, leve e divertido. Romance e gastronomia: tem combinação mais gostosa?



5. Sob o sol da Toscana (2003) - A gastronomia e as paisagens da Toscana são o pano de fundo de uma viagem que Frances faz à Itália após sofrer uma decepção com seu marido infiel.



6. Midnight Dinner: Tokio Stories - Em exibição na Netflix, a série mostra histórias curtas e independentes que acontecem no mesmo restaurante japonês. A cada uma delas é possível descobrir um pouco mais dessa culinária.



7. The Mind of a Chef - Esta é outra série da Netflix que traz em tom mais documental a rotina e os processos criativos de famosos chefs internacionais. Humor, técnica, história, ciência e gastronomia-arte se misturam em cada delicioso capítulo.



8. Julie and Julia (2001) - Nesta história a gastronomia une duas histórias: a de Julia, que ao chegar a Paris se interessa por culinária e passa a apresentar um programa sobre o tema e a Julie, que frustrada com o trabalho decide cozinhar as 524 receitas do livro escrito por Julia 50 anos antes. Vale assistir!

Avatar









01
FEV

Certa vez um cliente do renomado restaurante Paris 6 Bistro disse que quando estava lá se sentia como se estivesse na Disneylândia. O chef e proprietário Isaac Azar respondeu que sim, e que o Mickey Mouse da casa era o Grand Gateau – sobremesa criada por ele há 10 anos e que hoje é servida em docerias e restaurantes de todas as partes. Este visionário e criativo empreendedor foi entrevistado em matéria recente da Istoé Dinheiro sobre os cuidados e estratégias ao investir em Gastronomia. Na entrevista, celebrou que apesar de o ano de 2 ...

Certa vez um cliente do renomado restaurante Paris 6 Bistro disse que quando estava lá se sentia como se estivesse na Disneylândia. O chef e proprietário Isaac Azar respondeu que sim, e que o Mickey Mouse da casa era o Grand Gateau – sobremesa criada por ele há 10 anos e que hoje é servida em docerias e restaurantes de todas as partes. Este visionário e criativo empreendedor foi entrevistado em matéria recente da Istoé Dinheiro sobre os cuidados e estratégias ao investir em Gastronomia.

Na entrevista, celebrou que apesar de o ano de 2017 ter sido difícil para a economia trouxe bons resultados para o seu restaurante, que cresceu 60% em relação ao ano anterior. E não é só isso: em 2018 novas unidades do Paris 6 serão abertas no Brasil. Compilamos e comentamos seis ideias de Azar que todo investidor e empreendedor de food service precisa saber!

1. A ideia de que os feriados e festas nacionais trazem mas movimento é mais um mito do que uma verdade. Segundo Isaac, durante as celebrações que param o País o foco é outro. Pela sua experiência, os eventos atípicos trazem mais motivos de alerta e atenção do que razões para despreocupar-se.

2. Segundo Isaac, a gastronomia é um setor pouco abalado pelas novas ondas de economia, então vale a pena investir. Lembre-se, porém, que assim como em todo negócio, só se deve ter riscos calculados, pesquisar bastante e ajustar tudo antes de partir para a mesa.

3. Isaac diz que abrir filiais em Shoppings é uma alternativa para ganhar em escala com menos preocupações com interferências externas da rua e do ambiente. A dica é pensar estratégias para que a experiência do cliente na venda balcão seja tão prazerosa e boa quanto a experiência imersiva em seu restaurante.

> Baixe agora nosso e-book de tendências para Gastronomia em 2018! <

4. Abrir negócios sazonais para época de férias já foi uma estratégia do Paris 6. Hoje, segundo Azar, a prioridade é levar a experiência da loja física para diferentes cidades.

5. Azar sugere que o restaurante não se preocupe apenas com o seu cliente, mas com o público em geral. Ele diz que esse “público” é composto por vizinhos, por quem passa de carro pelo seu estabelecimento, e por todos que o conhecem mesmo que apenas de nome. A preocupação do Paris é, segundo o chef, estar inserido em uma comunidade e dialogar por ela. Esse é o motivo pelo qual em São Paulo o Paris 6 é aberto 24 horas por dia. Isto faz sentido na metrópole que não dorme, tem vida cultural muito ativa, não para e tem hábitos noturnos e, para o empresário, o Paris 6 funcionar neste horário é um apoio cultural à vida da cidade. Em outras cidades, Isaac acredita que a melhor alternativa são os shoppings, que tem horário mais estendido.

6. Quando perguntado sobre os críticos de gastronomia, Azar diz que espera a resposta do cliente e não se incomoda com o que quer que seja falado se a resposta do público é positiva. Da mesma forma, não seria válido se a crítica ovacionasse o negócio mas o público não comprasse a ideia. “Uma boa bilheteria é consequência do aplauso da plateia. O foco é no cliente”, diz o empresário.

Por fim, a dica de Isaac para quem quer empreender é fazer um estudo do negócio que você quer abrir para não criar somente mais um estabelecimento como tantos que já existem. Por isso é válido viajar, conhecer lugares do mesmo segmento e investir nesse trabalho de imersão. Azar encerra dizendo que, seja lá em que nicho da gastronomia você quiser atuar, não deve fazer por ego ou vaidade. “Se não estiver dando certo, faça ajustes”, finaliza.

O que você achou das dicas do empresário?


Avatar









30
JAN

Definir e conhecer bem as buyers personas da sua empresa é um primeiro passo para o sucesso de suas ações de marketing e do bom relacionamento com seus clientes. Cada persona (ou nichos de clientes) tem demandas e perfis muito específicos. Não faz mais sentido aquela velha noção de “público-alvo” que antes tínhamos de se trata apenas de gênero, faixa etária e classe social. Hoje as personas tem nomes, ocupações, anseios, dores, relacionamentos, influenciadores e um background – e tudo isso acaba tendo ligação direta com suas decisões de consumo. Foi com o objetivo de identificar as personas da ...

Definir e conhecer bem as buyers personas da sua empresa é um primeiro passo para o sucesso de suas ações de marketing e do bom relacionamento com seus clientes. Cada persona (ou nichos de clientes) tem demandas e perfis muito específicos. Não faz mais sentido aquela velha noção de “público-alvo” que antes tínhamos de se trata apenas de gênero, faixa etária e classe social. Hoje as personas tem nomes, ocupações, anseios, dores, relacionamentos, influenciadores e um background – e tudo isso acaba tendo ligação direta com suas decisões de consumo. Foi com o objetivo de identificar as personas da MVarandas que promovemos nosso primeiro Hackathon!



Reuniram-se no evento os membros da diretoria, colaboradores de todos os setores da MVarandas e até parceiros que atuam nas revendas em outros estados. Sob a orientação dos facilitadores e consultores Vinnie de Oliveira e Morganna Tito, a equipe dividiu-se em times que mergulharam a fundo em suas respectivas personas.

As palestras deram o escopo teórico necessário para que durante os três dias de Hackathon a equipe absorvesse o conceito e transformasse as ideias em projetos que já estão sendo estudados. “As personas desenvolvidas no Hackathon estão sendo avaliadas e analisadas em reuniões. Nesta etapa, continuaremos em contato com os grupos a fim de chegar a um modelo final que auxiliará todos os setores da empresa e trará bons resultados”, explica Rebeca Chinarro, coordenadora de Marketing da MVarandas.

Marcus Varandas Filho, CEO da MVarandas, apostou no modelo imersivo do Hackathon para a definição das personas por acreditar que isto faria a diferença na absorção dos conceitos. “Se as personas fossem apenas apresentadas ao time, o efeito não seria tão poderoso como foi o da construção coletiva. Todos estavam engajados no planejamento e execução das tarefas e o resultado não poderia ter sido melhor: dez personas elaboradas, discutidas e apresentadas com propostas de melhoria e inovação para cada uma delas”, diz Marcus.

No MV Meeting, próximo evento interno da MVarandas que acontece em fevereiro, serão apresentadas aos colaboradores as propostas e estratégias pensadas a partir do que foi criado e desenvolvido durante o Hackathon. “As novidades para este ano são muitas, tanto na parte de inovação tecnológica como na oferta de conteúdo e capacitação sobre food service para clientes, parceiros e quem desejar saber mais sobre o assunto. Toda a MVarandas fará parte da estratégia e execução destes projetos”, conclui Marcus.


Avatar









18
JAN

A MVarandas dá as boas-vindas a Fernando Resende, que se junta ao time como Gerente de Novos Mercados no eixo Sul-Sudeste para impulsionar nosso plano de expansão nacional em 2018. Fernando é tecnólogo em Eletrônica (ETE Getúlio Vargas) e Sistemas da Informação com ênfase em Gestão (FATEC-SP). Sua experiência com o mercado de tecnologia começou em 1998. “Nesta época não se falava se software ou impressora fiscal, o dominava o mercado eram as famosas Caixas Registradoras e suas complicadas parametrizações em Hexadecimal”, relembra. Logo Fernando entendeu como parametrizar estes equipamentos ...

A MVarandas dá as boas-vindas a Fernando Resende, que se junta ao time como Gerente de Novos Mercados no eixo Sul-Sudeste para impulsionar nosso plano de expansão nacional em 2018. Fernando é tecnólogo em Eletrônica (ETE Getúlio Vargas) e Sistemas da Informação com ênfase em Gestão (FATEC-SP). Sua experiência com o mercado de tecnologia começou em 1998. “Nesta época não se falava se software ou impressora fiscal, o dominava o mercado eram as famosas Caixas Registradoras e suas complicadas parametrizações em Hexadecimal”, relembra.

Logo Fernando entendeu como parametrizar estes equipamentos dentro do que era possível na época, e com isso ganhou a atenção da Bematech, que em 2003 o recrutou para atuar na área de treinamento para revendas. Enquanto isso, o cenário de tecnologia em automação era de evolução rápida, impulsionada por uma legislação que mudava constantemente. Em 2005 ingressou a equipe Comercial, criando e fechando novos negócios com grandes empresas como Riachuelo, Marisa, Supermercados Epa, Boticário, entre outros.  “Eu atuava com o canal de revendas, ajudando-os a alcançar o cliente, apresentar os produtos e elaborar propostas, buscando sempre algum ponto no projeto que nos diferenciasse da concorrência. Viajei pelo Brasil capacitando revendas e dando palestras sobre os benéficos da tecnologia e da automação para grupos de empresários”, conta.

O trabalho de Resende alcançou em 2007 outros países da América Latina, experiência que ampliou sua visão sobre a automação comercial com o objetivo puro de gestão. O interesse pelo assunto fez com que ele aceitasse o desafio de em 2009 assumir um projeto de gestão em uma fábrica no Paraguai, levando para sua carreira um enorme conhecimento sobre desenvolvimento de empresas, mercados e negócios. Seu retorno à Bematech foi em 2013 com o objetivo de fazer a empresa liderar novamente o mercado, que naquele ano havia sido tomado pela concorrência na Paraíba e no Rio Grande do Norte. “Atuei diretamente nutrindo as revendas e o resultado foi que em menos de um ano o ‘share’ foi recuperado, passando de 30% a mais de 70%, a as metas foram superadas em mais de 50%.

Mas foi na Paraíba, em 2015, que Fernando conta que participou daquele que fora seu maior projeto profissional até então: a GMI Distribuidora. O desafio era captar mais revendas e vender mais a fim de tornar a GMI um distribuidor de nível nacional. O resultado foi que em 18 meses a empresa dominava o Nordeste com mais 300% de crescimento em faturamento.

Ele disse bem: foi seu maior projeto até então. O desafio que sem dúvida virá a ser seu novo grande feito será projetar e expandir os negócios da MVarandas no Sul e Sudeste, trabalho que já vem sendo feito com ótimos resultados. “Venho somar a esse time para ajudar a aumentar a captação e conversão de clientes. Vou atuar diariamente lado a lado com as nossas revendas e o resultado disso é que todos cresceremos juntos”. Não temos dúvidas, Fernando! Seja bem-vindo!


Avatar















CONHEÇA O MENEW PAY


INSTAGRAM







Todos os direitos reservados - MVarandas - 2018